Atendimento: (31) 3273-0607

    Redes Sociais

Calendário Adolescentes

Os esquemas de vacinação adotados pela Imune Vacinas estão baseados nas recomendações do Programa de Imunização da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Comitê Assessor sobre Práticas de Imunizações dos E.U.A., da Academia Brasileira de Pediatria, da Sociedade Brasileira de Imunizações e do Programa Nacional de Imunizações..

VACINA ESQUEMAS COMENTÁRIOS
Tríplice viral (sarampo, Caxumba e rubéola)

Considera-se protegido o indivíduo que tenha recebido, em algum momento da vida, duas doses da vacina tríplice viral acima de 1 ano de idade, e com intervalo mínimo de um mês entre elas.

Aplicar uma dose para aqueles que receberam uma dose previamente. Aplicar duas doses para os que desconhecem ou que não receberam nenhuma dose da vacina. O intervalo mínimo de 30 dias entre as doses precisa ser respeitado.

Contraindicada para imunodeprimidos e gestantes.
Hepatites A, B ou A+B Hepatite A: duas doses, no esquema 0-6 meses.

Adolescentes não vacinados na infância para as hepatites A e B devem ser vacinados o mais precocemente possível para essas infecções.

A vacinação combinada para as hepatites A e B é uma opção e pode substituir a vacinação isolada para as hepatites A e B.

Hepatite B: três doses, no esquema 0-1-6 meses.

A vacinação combinada contra as hepatites A e B é uma opção e pode substituir a vacinação isolada contra as hepatites A e B.

Para menores de 16 anos: em duas doses – esquema 0-6 meses. Para maiores de 16 anos: em três doses – esquema 0-1-6 meses.

HPV (Papilomavírus)

Duas vacinas estão disponíveis no Brasil: uma contendo VLPs dos tipos 6, 11, 16 e 18, licenciada para meninas, meninos e jovens de 9 a 26 anos de idade; e outra, contendo os tipos 16 e 18, licenciada para meninas e mulheres a partir dos 9 anos de idade.

O esquema de vacinação para meninas e meninos é de três doses: na data escolhida, 1 a 2 meses após, e seis meses após a primeira dose.

Está indicada para a prevenção de infecções por HPV para todos adolescentes, entre os 11 e 12 anos de idade. O esquema de vacinação pode ser iniciado a partir dos nove anos de idade.
Vacinas contra difteria, tétano e coqueluche Com esquema de vacinação básico para tétano completo: reforço a partir dos 11 anos com dTpa (tríplice bacteriana acelular do tipo adulto. Reforço a cada dez anos. O uso da vacina tríplice bacteriana do tipo adulto (dTpa), em substituição à dT, para adolescentes e adultos, objetiva, além da proteção individual, a redução da transmissão da coqueluche,principalmente para suscetíveis com alto risco de complicações, como os lactentes.
Com esquema de vacinação básico incompleto (menos de três doses): uma dose de dTpa, seguida por uma ou duas doses de dT para completar o esquema de três doses. Reforço a cada dez anos.
Varicela (catapora) Duas doses, com intervalo de três meses em menores de 13 anos e intervalo de um a três meses em maiores de 13 anos. Indicada para aqueles sem história de infecção prévia. Contraindicada para imunodeprimidos e gestantes. Até a idade de 12 anos, considerar aplicação de vacina combinada quádrupla viral contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela para os adolescentes suscetíveis a varicela.
Influenza (gripe) Dose única anual. Idealmente a partir de março
Meningocócica conjugada Aos 11 anos: duas doses da vacina Men ACWY com intervalo de cinco anos entre elas. Se vacinado anteriormente com Men ACWY, dose de reforço cinco anos apos a última. Na impossibilidade da aplicação da vacina meningocócica conjugada quadrivalente (tipos A, C, W e Y), usar a vacina meningocócica C conjugada.
Febre amarela Uma dose para residentes ou viajantes para áreas com recomendação da vacina de acordo com classificação do MS e da OMS.
Se persistir o risco, fazer uma segunda dose dez anos após a primeira.
Indicada para habitantes de áreas definidas pelo MS como de vacinação, e para as
pessoas que vão viajar ou se mudar para essas regiões, assim como para atender
as  exigências sanitárias de determinadas viagens internacionais.Vacina contraindicada para imunodeprimidos, exceto quando os riscos de adquirir a doença superam os riscos potenciais da vacinação.Vacinar pelo menos dez dias antes da viagem.

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados...