Atendimento: (31) 3273-0607

    Redes Sociais

Colposcopia ajuda a identificar HPV

O Papilomavírus Humanos (HPV) produz lesões de pele ou mucosas na região genital, olho, boca, faringe, vias respiratórias, ânus, reto, uretra e no líquido amniótico.
Uma das formas de diagnosticar a doença é através do exame Papanicolau, mas ela também pode ser identificada através da colposcopia.

Além do exame Papanicolau e outros testes de HPV é realizado a colposcopia que é capaz de detectar o câncer de colo do útero.
Trata-se de um exame complementar, sendo importante para a prevenção, pois ele identifica as lesões que surgem antes do câncer.

A partir da colposcopia o ginecologista examina o colo do útero e a vagina utilizando lentes de aumento. Caso sejam identificadas lesões pode-se realizar uma biópsia no momento da colposcopia.
Ela possibilita a visão do colo do útero e das paredes vaginais a partir de um aparelho chamado colposcópio, já com a biópsia, são retiradas pequenas amostras de tecido do colo do útero ou das paredes vaginais.

O exame normalmente é solicitado quando nos resultados do teste são detectadas algumas anormalidades, sendo requerida a citologia do colo do útero ou o exame de Papanicolau, além de outros testes que confirmam o resultado e determinam a gravidade do problema.
A partir da colposcopia é possível ainda definir se a paciente precisará ou não realizar um tratamento

No entanto, existem casos em que o exame de Papanicolau apresenta anormalidades decorridas de infecções genitais, sendo recomendado portanto o realizar o tratamento indicado pelo ginecologista e posteriormente, efetuar outra citologia.

Geralmente é indicado a colposcopia com biópsia em casos que o exame de Papanicolau aponte infecção por HPV. Ela pode ser realizada em qualquer época, no entanto, não deve ser feita durante o período menstrual, além disso, não deve-se usar cremes ou duchas vaginais nos 3-5 dias antes do exame, e não deve-se ter relações sexuais.

O principal objetivo do exame é identificar se existem lesões causadas por HPV, para que possam ser tratadas antes deste torna-se um câncer.

Nenhum comentário.

Deixe o seu comentário!