Atendimento: (31) 3273-0607

    Redes Sociais

Meningite é uma doença inflamatória e pode ser fatal

Meningite é uma inflamação das meninges, membranas que envolvem o sistema nervoso central no cérebro. É uma doença séria que pode ser fatal. A causa mais comum é uma infecção por bactérias, fungos ou vírus (mais frequentemente). Entre outros, o sintoma que mais chama a atenção para o problema é a rigidez na nuca.

A doença pode atingir pessoas de todas as idades, sendo os idosos e as crianças os que mais correm riscos, principalmente menores de dois anos, pois o sistema imunológico do bebê ainda não é completamente maduro. A confirmação do diagnóstico é feita por meio do exame do líquor (líquido retirado da espinha), coletado por médico numa punção.

A meningite pode provocar lesões mentais, motoras e auditivas. “A Meningite Pneumocócica, – um dos tipos da doença, causada pela bactéria Streptococcus Pneumoniae – costuma deixar sequelas tardias. No momento da inflamação da meninge pode ocorrer uma alteração auditiva de degeneração posterior. O paciente sai bem do hospital, mas pode apresentar perdas de audição ou mesmo a surdez nos próximos seis meses”.

No Brasil, A Meningite é considerada uma doença endêmica, deste modo, casos da doença são esperados ao longo de todo o ano, com a ocorrência de surtos e epidemias ocasionais, sendo mais comum a ocorrência das meningites bacterianas no inverno e das virais no verão.

Meningite viral e bacteriana
“A Meningite viral é mais leve e transitória, o problema costuma se resolver em uma ou duas semanas. Já a bacteriana é mais grave, geralmente necessita de internação, pois há risco de comprometimento do cérebro. Dependendo do agente, a doença tem taxa de mortalidade entre 10% e 20%”, explica o neuroinfectologista.

De acordo com Oliveira, parentes que convivem com o paciente com meningite podem ser orientados pelo médico a tomar medicamentos como forma de prevenção.

Vírus e bactérias que causam meningite circulam no ar
Entre as medidas para evitar a meningite estão: evitar aglomerações, manter os ambientes o mais ventilados possível e ter atenção com a higiene, principalmente durante o inverno, pois a transmissão é por via respiratória (tosse e espirros). A bactéria pneumococo, por exemplo, se aloja entre o nariz e a garganta.

“Temos os vírus no organismo que ficam em estado de latência (repouso) e convivemos com bactérias o tempo todo”, lembra Oliveira. Após o contágio, o período de incubação (até a manifestação dos primeiros sintomas da doença) é curto, de dois a quatro dias.

Vacinação contra a meningite
Outra maneira de prevenir a meningite é por meio da vacinação, que protege o organismo de agentes como o pneumococo, o meningococo e o hemófilus.

Vacinar  é sempre melhor do que ter que tratar depois.

Confira o calendário infantil de vacinação 

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados...